CRÔNICA: NICOLAS QUE SONHA ENVELHECER

Abro espaço para um amigo Maurício Mellone, jornalista, publicar uma de suas crônicas:

Nicolas que sonha envelhecer

Tarde de sábado chuvosa, com um friozinho do início do inverno paulistano, fui surpreendido na academia com uma pergunta vinda de um garoto:

— É bom ser adulto?

Depois de uma bela risada, respondi perguntando:

— Mas não é bom ser criança?

O garoto, muito falante e desembaraçado para os seus pouco mais de 10 anos, respondeu divagando que ser adulto “deve ser muito bom!”

Novamente devolvo a bola, perguntando o porquê. Ele mais do que depressa responde:
— Por que não precisa mais estudar!

Caio na gargalhada novamente e digo que adulto não precisa mesmo mais estudar, mas precisa trabalhar. Sem rodeios ou qualquer dificuldade para rebater-me, o menino diz que para ele não vai ser nada chato trabalhar, pois será um cantor.

Ensimesmado, pude rir muito com o garoto, que logo estava pronto para ir embora, mas fez questão de perguntar meu nome. Disse com naturalidade e agora era ele que caía na gargalhada. Pergunto por que estava rindo e ele me diz:

—Esse é o nome do meu pai!

Não podia deixar que fosse embora sem saber seu nome. Ele diz com belo sorriso no rosto:

— Nicolas, e se despede educadamente, demonstrando mais uma vez que no fundo tem muito mais experiência de vida do que aparenta sua idade cronológica.

Depois desse agradável diálogo, voltei-me para minhas reflexões. Tinha acabado de sair da piscina, de um treinamento regular auto-imposto, justamente na semana em que mais um sinal dos anos acumulados tinha aparecido na minha vida. Depois de meses monitorando o funcionamento irregular da tireoide, minha médica havia receitado o medicamento que irá me acompanhar pelo resto de meus dias!

Com o compromisso de me manter saudável e com o mínimo de controle sobre a crise dos “enta”, fui pego de calças curtas pelo Nicolas!

Se estou preocupado em envelhecer, ou pelo menos chegar sem solavancos à tal da melhor idade — mantenho rígido controle alimentar, bebidas alcoólicas só com moderação, além da prática regular de exercícios físicos —, o garoto sonha de olhos abertos com a vida adulta! Alegre ironia!

Só mesmo o poeta para me tirar desse beco com infindáveis saídas! Fui correndo ouvir a canção de Carlos Renó, brilhantemente interpretada por Ney Matogrosso, Lema:

“Envelhecer

Certamente com a mente sã

Me renovando

Dia a dia, a cada manhã

Tendo prazer

Me mantendo com o corpo são

Eis o meu lema

Meu emblema, eis o meu refrão”.

Nicolas, ser adulto é saber envelhecer. Vamos juntos chegar lá?

Maurício tem um BLOG muito bom, quem tiver curiosidade e quiser saber mais é só clicar no link: http://www.favodomellone.com.br/

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “CRÔNICA: NICOLAS QUE SONHA ENVELHECER

  1. Primeiramente parabéns à vc Maurício pela crônica e ao Rico por ter aberto espaço à essa reflexão. Gostaria de abordar essa questão sob outro olhar. Vejo uma pressa incomensurável das atuais gerações “y” e “z” em abreviar os processos. Essas gerações, acostumadas com a velocidade da informação e a intimidade com a tecnologia, muitas vezes não conseguem enxergar que tudo na vida tem seu tempo para acontecer. Querem antecipar, abreviar, querem que tudo aconteça de forma instantânea. Isso me faz lembrar do filme chamado “click” com o Adam Sandler em que o protagonista tinha um controle remoto mágico através do qual ele passava rapidamente por todas as situações familiares e profissionais que considerava “boring” até que quando se deu conta estava velho, doente e havia perdido a convivência com os filhos, amigos e com seu amor…
    Nesse aspecto acho que nossa geração, a nossa chamada geração “x” tem mais presente a noção de que de que há processos a serem percorridos e isso faz parte do nosso aprendizado. Fico pensando como será que essa geração vai encarar os “enta”… será que entenderão o processo de envelhecimento? Será que pensarão apenas nas mudanças do corpo? Será que darão valor ao equilíbrio e plenitude que o amadurecimento trazem? Não estou aqui fazendo uma crítica às novas gerações… de forma alguma…adoro pessoas mais novas, trabalho com uma equipe de gerações “y” e aprendo muito com eles…só fico pensando onde essa pressa irá levá-los…. abraço!

  2. Rico:
    Muito obrigado pelo espaço concedido aqui no seu blog.
    Como é gostoso compartilhar ideias e sentimentos com as
    pessoas.
    João, obrigado pelos elogios e seu questionamento é
    extremamente pertinente. Apendemos com os novos, mas
    a rapidez e o emaranhado de informações do hoje podem realmente
    prejudicar o vínculo e a aproximação íntima entre as pessoas.
    Precisamos ficar atentos, os jovens e os não tão jovens, para
    não cairmos nessa armadilha do mundo tecnológico atual.

    Rico, agora espero sua contribuição para o meu blog e assim criarmos
    uma via de mão dupla entre nossos leitores.
    bjs
    Maurício

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s